4 exames ginecológicos que toda mulher precisa fazer

Você sabia que no Brasil as mulheres vivem em média 7 anos a mais que os homens?Além dos fatores genéticos e hormonais, um dos motivos para essa longevidade está relacionado ao maior cuidado que o sexo feminino possui com a saúde quando comparado ao masculino.

Para se ter ideia, dados do Programa Nacional de Saúde (PNS) revelam que enquanto quase 85% das mulheres procuram o médico com frequência, a média de homens não chega aos 70%.

Mas apesar de toda essa diferença, ainda é preocupante o número de mulheres que deixam de lado a importância de manter uma rotina de acompanhamento médico, principalmente ao ginecologista.

Isso porque, uma simples visita a esse profissional é capaz de prevenir e identificar possíveis alterações que atrapalham o dia a dia da mulher.

Se interessou pelo assunto? Continue a leitura, conheça mais sobre o check-up ginecológico e saiba quais os seus principais exames.

Porque é importante manter o check-up em dia?

O check-up ginecológico pode ser definido como uma sequência de exames de rotina fundamentais para a prevenção de doenças e cuidado da saúde sexual e reprodutiva da mulher.

Em linhas gerais, é ele quem vai facilitar o diagnóstico precoce de qualquer doença e garantir que haja um tratamento eficaz. Toda essa preocupação se dá porque, na maioria das vezes, as doenças identificadas nestes exames não geram sintoma algum, principalmente em fase inicial, o que pode levar ao agravamento da situação sem que a mulher não sinta nada.

Mas, afinal, quando fazer um check-up?

Logo a partir da primeira menstruação é fundamental agendar uma visita ao ginecologista, isso porque logo na adolescência já é possível investigar possíveis problemas relativos ao período menstrual.

Uma vez na idade adulta, recomenda-se que a mulher realize toda bateria de exames ao menos uma vez por ano, situação que pode sofrer alterações de acordo com orientação médica.

4 exames ginecológicos que toda a mulher precisa de fazer

Papanicolau

O que é?: é o exame padrão para prevenção, acompanhamento e tratamento do câncer de colo de útero.

Para quem é recomendado: toda mulher que tem ou já teve vida sexual, especialmente as que têm entre 25 e 59 anos.

Como é feito: é introduzida uma pequena espátula no interior da vagina para colher o material que será analisado em laboratório.

Quando deve ser feito: inicialmente deve ser realizado uma vez no ano. Se o resultado do exame se mantiver normal durante dois anos, pode passar a ser feito a cada três anos.

Ultrassom Pélvico

O que é?: também conhecido como “ultrasson transvarginal”, é o exame que permite identificar diversas alterações, como a presença de cistos, sangramentos ou endometriose.

Para quem é recomendado: mulheres que já iniciaram a vida sexual.

Como é feito: utiliza-se um transdutor, aparelho com um ultrassom na ponta que é posicionado na pelve ou inserido na vagina da paciente no objetivo de reproduzir imagens em tempo real do sistema reprodutivo feminino.

Quando deve ser feito: pode ser realizada anualmente para monitoramento da saúde ginecológica da paciente.

Colposcopia

O que é?: é um exame complementar solicitado quando há alterações ou suspeitas com base no resultado do Papanicolau.

Para quem é recomendado: mulheres que já passaram pelo Papanicolau e precisam de uma avaliação mais aprofundada.

Como é feito: o especialista observa o colo do útero e vagina por meio do colposcópio, aparelho semelhante a um microscópio.

Quando deve ser feito: quando é identificada alguma anormalidade no Papanicolau.

Mamografia

O que é?: é um exame de imagem que auxilia no diagnóstico de possíveis alterações mamárias, principalmente o câncer de mama.

Para quem é recomendado: é normalmente indicado para mulheres acima dos 40 anos, mas deve ser antecipado caso exista algum registro de câncer de mama na família.

Como é feito: é realizado por meio do mamógrafo, um aparelho que permite a visualização das glândulas mamárias com riqueza de detalhes.

Quando deve ser feito: é recomendada a repetição do exame a cada 1 ou 2 anos. Além desses, outros exames rotineiros também devem fazer parte do dia a dia da mulher, sendo assim, não deixe de procurar um ginecologista de confiança com frequência.

Fontes: Biblioteca Virtual em Saúde (BVS); Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo); Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Leia mais:

5 formas simples de aumentar a qualidade de vida

Como manter uma alimentação saudável no dia a dia?

Alergias Respiratórias: o que são e como evitar?

Tosse: qual xarope eu tomo?

Anticoncepcional durante a amamentação – Mitos e Verdades

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Participe da nossa newsletter e mantenha-se informado!